Montagem de Móveis Corporativos e Residenciais em diversas cidades do Brasil
Orçamento montador de móveis POM
 

8/12/2013

Móveis Seriados: Influências do projeto na Montagem e Desmontabilidade

Montagem e Desmontagem de Móveis
Algumas situações encontradas nos móveis seriados durante a montagem nos fazem questionar o processo do "projetar" tais produtos. Discorremos  sobre falhas e detalhes de projeto ou de fabricação que não poderiam ainda existir no mercado moveleiro.

Uma pergunta reveladora feita aos montadores pode trazer surpresas interessantes. "Quais marcas de móveis são mais fáceis de se montar?" O segredo é saber o que  perguntar, pois o correto questionamento pode  revelar dimensões curiosamente desconhecidas sobre o produto que fabricamos.

Por trás desta pergunta, existem os mais variados fatores que quando em conjunto, resultam no diferencial da montagem entre produtos muito parecidos. Chegamos inclusive a nos defrontar com uma certa "inocência" no projeto, talvez traduzida pela falta de vivência do projetista no segmento moveleiro, ou pior ainda, pelo desinteresse sobre o que acontece depois, durante a montagem do produto.

O Portal do Montador mais uma vez encara o desafio de contribuir com a solução de problemas como este. Para tanto, iremos desmembrar a pergunta lançada em dimensões de projeto.

1) Normalmente, os móveis possuem a característica da composição em múltiplos volumes. Raros são os produtos com esta particularidade. Mas qual é o efeito desta propriedade? Primeiro fato curioso...um projetista de móveis seriados DEVERIA saber a resposta, vamos à ela.

No ambiente de montagem, o elemento mais raro é o espaço disponível, guarde esta definição como uma verdade absoluta. Se as peças necessárias na sequência de montagem estiverem em volumes separados, obviamente o montador necessitará abrir diversos (ou todos) os volumes simultaneamente. Isso produz sérias consequências, vamos à elas.

  • Redução do espaço de trabalho do montaddor
  • Aumento das chances de acidentes com as peças (potencial de técnica)
  • Redução da produtividade do montador, pois terá mais variáveis a controlar simultaneamente
  • Demérito profissional do montador, dado pela sensação de  ambiente desorganizado por parte do cliente, gerado pelas peças espalhadas

2) Ainda sobre a falta de espaço, diversas são as situações em que o produto precisa ser montado já em seu local definitivo, ou seja, não existe espaço para a famosa montagem deitada. O produto precisa, na linguagem dos montadores, ser montado em pé.

Infelizmente, mais uma vez, diversos produtos são projetados sem levar em conta essa dura realidade nos dias atuais, de que os espaços nos grandes centros estão a cada dia mais disputados. Falamos de apartamentos de 70 metros quadrados com 3 dormitórios, pense nisso!

3) Já citada em outro artigo sobre esquemas de montagem, a questão do passo-a-passo do processo de montagem. O esquema precisa trazer de maneira suficientemente clara, a melhor sequência de montagem, senão a única.

4) Embora nem sempre aplicável, a teoria dos subconjuntos precisa ser considerada. Para os projetistas pouco experientes, vamos explicar...Uma gaveta é um subconjunto de um criado ou cômoda, pode ser montada em separado. Um kit gaveteiro pode ser um subconjunto de um roupeiro, e assim por diante. A existência dos subconjuntos ajuda substancialmente os montadores, que assim podem executar posteriormente o agrupamento de sub montagens.

Não é à toa que ele monta uma gaveta antes e nela deposita os acessórios, está aplicando pela prática três conceitos simultaneamente, a montagem dos subconjuntos, o acesso visual aos elementos de fixação e a maximização do espaço de trabalho.

5) Padronização do plano de furação deve ser aplicada, os furos precisam ter baixa diversidade de diâmetros. Um bom projeto de roupeiro pode ser feito com 3 diâmetros apenas, vale à pena colocar os neurônios para funcionar

6) Finalmente a questão da desmontabilidade do produto, apesar de cada vez mais uma commodity, o mobiliário do tipo "ready to assembly" foi idealizado para tornar mais simples a vida das pessoas e isto inclui a necessidade de mudança de moradia.

Elementos estruturais que não danifiquem a madeira ou painel  devem ter preferência de utilização. Cola ou fixações definitivas, somente no máximo em subconjuntos. Pregos do tipo estriado devem ser evitados, assim como parafusos estruturais de alma delgada. Dispositivos do tipo minifix aumentam a desmontabilidade, mas aumentam também o tempo de montagem.

Concluindo, esperamos neste post ter conseguido demonstrar que a questão "Quais marcas de móveis são mais fáceis de se montar?" possui uma infinidade de variáveis que a explicam. O montador sabe sentir as consequências de todas elas no seu dia-a-dia, onde tempo de montagem é o grande desafio da profissão.

Coube ao Portal do Montador traduzir, embora de uma forma resumida, algumas das variáveis que contribuem nesta percepção. O fabricante de sucesso economiza o tempo do montador de seus produtos, pois sabe da inportância de um projeto funcional.

Uma semana produtiva a todos!





0 comentários:

Postar um comentário