Rede de Montagem e Assistência Técnica POM

O cliente espera um bom serviço, não está interessado em assuntos paralelos. Não diminua o produto, nem o profissional anterior, caso exista um.

Portal do Montador ME - Anúncios de Montadores

PortaL do Montador ME - Montador, anuncie em espaço prático, dedicado exclusivamente à divulgação de serviços de montagem de móveis em todo o Brasil.

Montador de Móveis Credenciado POM Brasil

A realização de um bom trabalho vai além do resultado final. Um profissional de sucesso realiza suas atividades com cuidado, organização e planejamento.

Montadores de Móveis Profissionais

A boa montagem nasce de um projeto bem feito, matérias-primas adequadas, processos de fabricação padronizados e principalmente de um montador de móveis capacitado.

Montagem, Desmontagem e Remontagem de Móveis

O consumidor precisa aprender a distinguir montadores de móveis profissionais e montadores de móveis eventuais. Por melhor que seja o produto, corre-se o risco de danificá-lo.

Montagem de Móveis Corporativos e Residenciais em diversas cidades do Brasil
Orçamento montador de móveis POM
 

1/30/2015

POM - Os melhores montadores de móveis do Brasil não podem ficar de fora

Portal do Montador - O lugar dos melhores montadores de móveis do Brasil

Montador de Móveis Credenciado POM
Foi assim que começamos a idealizar o Portal do Montador, existia uma ideia e um desejo inicial, que alimentamos dia após dia desde a decisão fixa de conceber o POM. Estava claro que o trabalho aconteceria em um ambiente de pouco reconhecimento profissional, mas isto (muita luta) sempre foi um grande fator de motivação para nós, colocar em evidência o montador de móveis.

No dia do lançamento pensei no Gilson Alvino dos Santos, um montador da Santos Andirá (1994), um dos primeiros que treinei e o quão longe ele foi capaz de chegar e crescer profissionalmente, acreditando em muito do que a ele passei. Quem sabe mais cedo ou mais tarde um dia encontre este post. Vai se recordar de tantos projetos de móveis que passaram por suas mãos durante os testes de montagem...de sua mãe humilde (era a faxineira da fábrica) e de como sua força de vontade conseguiu levá-lo além do que imaginou um dia. Também tem o Florindo, o Bahia, o Claudemir...pessoal, me desculpem, vocês são muitos!

Torna-se necessário relembrar que assim que o site entrou no ar em abril de 2013, começaram a brotar montadores de móveis de todo o País, muitos dos quais com enormes dificuldades na utilização da internet. Os planos de dados estavam apenas começando a se popularizar, mesmo assim fizemos questão de apostar tudo no telefone celular, o site tinha que rodar em telas pequenas. O telefone é a principal ferramenta de trabalho dos profissionais autônomos.

Claro que cometemos erros, o site saiu do ar por 5 dias, algumas coisas nunca chegaram a funcionar. Porém está evidente que os acertos foram bem maiores nestes quase 2 anos, prova que estamos aqui. Neste período mudamos para melhor a vida de muitos montadores de móveis que acreditaram no ideal do POM, ser diferente e fazer bem feito, mesmo sem muitas vezes receber o que acreditavam como sendo o justo. Você precisa sentir-se realmente BOM em algo na sua vida, isso é o combustível que nos move.

No POM ninguém trabalha bem ou mal pelo valor da montagem, porque os melhores SEMPRE trabalham bem, faz parte de nossa natureza...missão dada é missão cumprida. Se for para fazer uma montagem mais ou menos é melhor nem começar, deixamos para outros que aceitam esta prática ou este modo de vida!

Incrível o poder de uma ideia, ela existe com uma intensa força invisível e isto transmite um poder absurdo porque as pessoas conseguem perceber e acreditam no que desejamos de coração. O cliente que busca na internet já procura por montadores credenciados do Portal do Montador e tais montadores entendem que o erro existe porque são humanos, mas o desafio é justamente a busca da montagem perfeita, por mais difícil que isto seja muitas vezes com produtos de baixa qualidade em nossas mãos.

Sim, nós somos diferentes de fato, não estamos aqui para "anunciar" um montador como tantos sites de anúncios, mas sim para promover e valorizar aqueles que se dedicam de verdade nesta atividade. A profissão só não é tão dura como a do pedreiro porque em nosso caso ao menos a casa já está coberta. O cliente às vezes se assusta em ver um profissional montar um roupeiro em menos de 45 minutos, mas isso é para poucos, mesmo porque não incentivamos a velocidade e sim o ritmo constante de trabalho.

O Portal do Montador chegou a um ponto em que foi preciso criar o POM 2.0 pois as ideias eram tantas que seria impossível servir de maneira gratuita certos serviços, então foi preciso diversificar. O site inicial continua no ar para aqueles que desejam simplesmente divulgar seus serviços sem custos, porém atendendo o pessoal que busca por algo mais, criamos o Portal do Montador 2.0 com uma estrutura tecnológica de elevado padrão, tudo isto sem um centavo sequer de aporte financeiro, aliás o idealismo foi o único aporte que tivemos por todo este período até hoje...

Como muitos já perceberam, existem diversas cidades pelo Brasil à espera dos profissionais certos para ocuparem seu espaço dentro do POM. Basta encontrar no site o perfil como DISPONÍVEL PARA ENTREVISTA, o que significa que estamos procurando um montador de móveis que sinta prazer em fazer montagens cada vez melhores, acima do padrão médio de mercado. Esperamos que você montador que acaba de ler este parágrafo seja O CARA que procuramos, não fique de fora!

Agora não é mais novidade, no Portal do Montador estão os profissionais que levam à serio o assunto montagem de móveis. Aqui não temos curiosos, aqui não temos amadores. Aqui temos gente séria com um único objetivo profissional, provar para nós mesmos que somos os melhores montadores de móveis do Brasil.


Sucesso galera do Portal do Montador!


Cláudio Perin

1/25/2015

Consultórios Odontológicos: Montagens que precisam de conhecimento sobre o mobiliário e fabricantes

Móveis Consultório Odontológico

Montagem de móveis odontológicos se resume a poucos fabricantes

Um consultório odontológico possui alguns aspectos peculiares e outros particulares no tocante às instalações. Dentro deste contexto, normalmente o arquiteto distribui de forma lógica os móveis peculiares, bancadas, armários, arquivos, cadeira e os demais equipamentos dependendo da especialidade do profissional.

Um fator fundamental a observar é a questão da funcionalidade do layout, ou seja, é preciso lembrar que teremos um profissional exercendo suas atividades de maneira a que certos aspectos ergonômicos estejam plenamente resolvidos.

Quando você imagina uma jornada de oito horas diárias de trabalho com os braços fora da posição de repouso (voltados para baixo), entenderá que o sucesso de um dentista (odontólogo) passa pela correta distribuição espacial de equipamentos, ferramentas e materiais, de forma que contribuam na otimização dos movimentos e redução da fadiga à qual está submetido.

Bom, mas o montador de móveis precisa saber de tudo isto? Claro que não, mas justamente por isso não deve sair dando palpites de onde deveria ficar o que, a não ser que compreenda a necessidade de satisfazer PRIMEIRAMENTE o layout funcional e não a FACILIDADE de instalação.

A grande maioria dos móveis e equipamentos possuem uma grande padronização, visto que existe também um padrão de tarefas que são o núcleo da profissão do dentista. Com relação às particularidades, existe a questão de se o profissional trabalha com cirurgias, próteses, ortodontia, se possui espaço para um protético e por aí vai...os móveis vão se adaptando e tomando novas formas!

O montador de móveis que já trabalha neste segmento sabe que existem alguns fabricantes líderes neste mercado, citamos aqui alguns como a Lafaiete, Haydée, Olsen e Mônaco, Para o marceneiro que aprendeu a seguir determinadas normas técnicas, existem também os móveis planejados, mas estes entram como complementos dentro do consultório, o interessante neste caso é que harmonizam com a recepção e o restante das instalações deste consultório.

O mercado costumam reconhecer os móveis odontológicos como uma subdivisão do que chamamos "Móveis Científicos", que englobam principalmente três grupos de mobiliários normatizados voltados à saúde, os móveis hospitalares, os móveis laboratoriais e os referidos móveis odontológicos.

O montador de móveis que deseja trabalhar neste segmento precisa conhecer os representantes, distribuidores e lojas que comercializam tais produtos. Como é um mercado restrito, acreditamos em um baixo volume de trabalho fora dos grandes centros, porém precisa ser atendido e certamente o valor cobrado pela montagem tende a ser maior que a média praticada para o cliente residencial ou mesmo o corporativo padrão para escritórios.

Quando não é o caso de consultórios dentro de salas de edifícios comerciais, existe também a comunicação visual externa, mas este já é um trabalho avançado para o montador de móveis porque pode exigir andaimes, escadas, placas e letreiros luminosos e etc...quem tem parceria com empresas que fazem este trabalho leva vantagem.

As cadeiras e bancadas costumam vir paletizadas e o montador de móveis que deseja instalá-las vai ter um grande desafio pela frente, existem ligações elétricas e hidráulicas a executar. Por outro lado o vendedor prefere mandar um técnico ao local, pois senão terá que chamar 3 profissionais distintos o que tende a encarecer a instalação.

O montador de móveis precisa então aprender a comer pelas beiradas, começando a atuar na mudança de consultórios antigos, onde o proprietário não contará com a ajuda do profissional de fábrica. mas daí, é preciso entender das tais instalações hidráulicas e elétricas, portanto ler o manual é uma obrigação.

Fica então o recado final, quer trabalhar neste nicho de mercado? Comece então visitando um consultório odontológico de algum conhecido. Uma vez lá observe todas as instalações e tente conseguir uma cópia do manual da cadeira e bancadas caso existam. 

Estude e entenda, depois disso comece como ajudante de alguém que já pratica este tipo de prestação de serviço, você verá que não é tão difícil assim. Agora, se conseguir um treinamento no fabricante, poderá com algum médio esforço tornar-se um instalador dos fabricantes já citados neste post, daí é com você...


Sucesso e boa sorte!


Claudio Perin

1/22/2015

Contato direto com o cliente e valorização profissional, o Portal do Montador é o melhor para todos

Montador de Móveis, o contato direto com o cliente valoriza o profissional

Montadores de Móveis Credenciados POM
O POM realmente é diferente e isso todos os montadores de móveis do Brasil já sabem. Hoje existem diversos sites que oferecem serviços autônomos nos mais variados segmentos, porém a maioria deles esconde os contatos dos profissionais, sejam eles encanadores, eletricistas, ou qualquer outra classe de profissional autônomo que trabalhe por tarefa.

Quando o anunciante pensa sobre o assunto, percebe tudo poderia ser diferente. Porque o cliente precisa ligar para alguém que vai repassar o serviço ocultando o profissional? Como construir uma reputação dentro deste modelo?

O POM possui uma central de atendimento sim, porém o objetivo é o de auxiliar o cliente na solução de dúvidas sobre como utilizar o site, uma vez que orçamento, atendimento e pagamento são efetuados diretamente com o montador de móveis cadastrado. É dele o cliente e não do site.

Os contatos dos montadores estão todos lá, à disposição daqueles que precisem contratar montadores de móveis profissionais pelo Brasil de maneira simples e direta, porque nossa visão é a de valorizar estes profissionais disponibilizados para contratação e não a de torná-los dependentes.

Quem participa do POM conhece isso de perto, são montadores saindo em matérias de revistas do segmento, concedendo entrevistas, expondo seu pensamento e ponto de vista sobre a profissão. Não tem sido nem uma ou duas vezes, tem sido SEMPRE assim.

Nesta imagem homenageamos o Alexandre Arruda, que foi entrevistado na revista Móbile Lojista deste mês (edição 314). Também já participaram diversos outros montadores daqui, basta observar em nosso histórico, seja neste blog, no facebook ou revistas e meios de comunicação do gênero. Sempre temos uma palavra voltada à qualidade na montagem, nosso objetivo maior.

O Portal do Montador já é uma referência nacional para quem necessita de mão de obra profissional em montagem de móveis. Estamos trabalhando ainda mais com o objetivo de contribuir de maneira efetiva na capacitação destes profissionais, mas a estrada é longa e trabalhosa para recursos tão limitados como os nossos, os passos são pequenos, porém seguros.

Tenho utilizado todo meu tempo disponível no POM, quando não em consultorias para fabricantes ou lojistas de móveis os quais atendo como consultor (atividades principais das quais sobrevivo). Desta maneira, o POM nasceu de dentro do segmento moveleiro, apoiado por pessoas que vivenciam este setor e que falam com propriedade sobre os assuntos a ele inerentes. São encontros em feiras e eventos com pessoas que respiram este mundo.

O montador de móveis que já foi funcionário e hoje depende de seu próprio esforço em busca de clientes, encontra no POM o apoio necessário para se estabelecer no mercado de forma segura, porém livre. Não existe patrão como muitos possam imaginar, existe sim uma ideia compartilhada, um ideal de trabalho comum para aqueles que se identificam em se doar para receber. 

Ninguém vive de brisa, mas o montador POM encara o pagamento como consequência de um trabalho bem executado e não como uma exigência por algo necessário a um cliente. Desta maneira consegue trabalhar com um sorriso no rosto, mesmo diante de duras tarefas, pois aprendeu que respeitar o cliente é o verdadeiro caminho de sua realização como pessoa.

Nossos esforços de aproximação tem sido tão efetivos quanto possível, dentro de nossa realidade tenho me esforçado a atender TODOS os lojistas e fabricantes que me convidam para uma visita e agradeço de coração aos que me atendem quando sou eu quem solicita o encontro, pois o deslocamento nem sempre cabe na realidade de nossos recursos e a agenda fica por vezes incompatível com nosso desejo.

As entrevistas estão um pouco mais lentas, mas esperamos intensificá-las o mais breve possível. Alguns montadores perguntam onde ela acontece, repito novamente...é por telefone, não precisam se preocupar!


Sucesso a todos!


C. Perin

1/20/2015

Instalar um móvel é mais que apenas montar, o cliente precisa se informar para contratar corretamente

Existem montadores de móveis não qualificados para a instalação. Entenda a diferença e acerte na contratação!

Montador e Instalador de Móveis
Sim meus senhores, existem clientes extremamente desapontados quando contratam um montador de móveis. Sabemos que existem falhas de comunicação, mas detectamos casos nos quais alguns montadores não esclarecem o cliente de maneira adequada quanto à montagem do produto. 

Resta saber se tal atitude foi ou não proposital para não perder o serviço, mas isto de nada resolve pois este montador acabará perdendo em definitivo o cliente.

Deixamos claro que o montador de móveis profissional tem a OBRIGAÇÃO de informar o cliente caso não execute a instalação do produto, pois isto passa a ser uma questão de ética na prestação do serviços de montagem. O cliente precisa saber claramente o que será executado na contratação dos serviços. A resposta "Eu sou montador de móveis e não um instalador", precisa ser dada antes da contratação e não na casa do cliente.

A situação típica ocorre na montagem de gabinetes de cozinhas ou de banheiros sob a pia. O cliente fecha o contratação e os valores, sendo que muitos inclusive acabam achando barato diante do que têm em mente. Montar um gabinete de cozinha ou banheiro é realmente um serviço de montagem de móveis, porém certos montadores deveriam avisar que a fixação na parede, a instalação da torneira e sifão, a instalação da cuba e muitas vezes inclusive a calafetação desta pia são serviços de instalação.

Oras, É CLARO que o cliente não sabe disto na maioria das vezes. Agora coloque-se no lugar de quem o contrata, qual seria o sentimento ao descobrir que o profissional vai embora após o serviço e ainda assim você vai ficar sem poder utilizar seu produto, dado que falta instalar torneira, cuba, sifão ou seja lá o que for? Pois bem, o montador diria que isto é a parte do encanador? Para nós se disser isto ao telefone ANTES de pegar o serviço, tudo bem, o que não vale é SONEGAR informações para seu futuro cliente. Ele merece a verdade!

Este tipo de comportamento acaba ferindo todos os montadores de móveis, sejam os que fazem ou os que não fazem a instalação dos móveis, isto porque transmite uma imagem extremamente ruim, típica do prestador de serviços que não está comprometido com a satisfação do cliente e sim apenas com o propósito de faturar.

O montador de móveis que age com clareza, aquele que não realiza a instalação mas esclarece isso a seu cliente durante o orçamento, pode sentir-se traído ao ver certos profissionais trabalhando da maneira errada. Isto desvaloriza toda a classe profissional, deixando o cliente em dificuldades com aquela resposta que já citamos no início deste post, ao ir embora sem realizar a instalação e ainda dizendo que tem direito de receber o valor combinado pelos serviços executados. Na percepção do cliente, não era isto o combinado, resta saber se a falha de comunicação foi intencional ou não!

Escrever este post é uma contribuição que fazemos aos montadores de móveis que trabalham com transparência e acabam perdendo orçamentos por serem honestos com seus clientes por dois motivos, ou porque avisam que não fazem a instalação e acabam perdendo o serviço ou porque encontram argumentos para explicar ao cliente o porque da diferença de valores praticados.

O montador que não realiza a instalação está preparado para perder o serviço para aquele que está qualificado a executar, o difícil é perder para o que ocultou este a informação, isto realmente desanima o profissional. O mesmo vale para o que instala e acaba perdendo o serviço para o montador do menor preço que vai deixar o cliente em dificuldades.

Uma coisa interessante é que instalar um balcão de cozinha ou banheiro não exige grandes esforços adicionais, o conhecimento para instalar também não é algo tão complicado que um simples treinamento não resolva. Complementando e finalizando o assunto, fita veda roscas, cola de silicone, massa de calafetação, bujões hidráulicos e chave de grifo são itens essenciais do instalador deste tipo de produto e precisam estar na mochila ou caixa de ferramentas de maneira obrigatória.

Sucesso aos montadores e instaladores de móveis!


C. Perin

1/16/2015

Clientes difíceis precisam de cuidados e técnicas de relacionamento adequadas

Evitando problemas de relacionamento com o cliente durante a montagem

Cliente do Montador de Móveis
Preparamos para hoje um tema solicitado por alguns montadores de móveis, que ocorre com relativa frequência, a questão de como se desvencilhar de momentos e situações delicadas com o cliente durante a montagem.

Pois bem, vamos chamar este momento de "gerador de centelha", visto que o próprio relacionamento humanos já é uma mistura de combustível e comburente, água e gasolina, que sem a faísca comporta-se bem, porém esconde um constante perigo iminente que exige cuidados.

O relacionamento comercial é uma operação onde paga-se um valor em troca de um benefício. Quando existe de ambos os lados a percepção de um equilíbrio, a coisa costuma andar bem. Entretanto, se um orçamento fechado já ocorreu sob um certo clima mais aquecido, podem saber, estamos no fio da navalha.

Caro montador, independente de um clima mais pesado ou não nossa sugestão é a seguinte, pode fazer o orçamento por telefone, até aí tudo bem. Porém, terminada a ligação, registre via e-mail, sms ou whatsapp o que foi combinado com o cliente. Não tenha preguiça nem seja descuidado, isso é FUNDAMENTAL, é preciso documentar o orçamento sim, é sua garantia e também indispensável para o cliente.

Ok, agora com o orçamento devidamente documentado e aprovado (isso exige uma RESPOSTA do cliente, um simples DE ACORDO) começam os trabalhos de montagem no cliente. Caso tenha se apresentado no horário combinado, ótimo, caso contrário isto já pode gerar uma primeira fagulha perigosa. Saiba se desculpar e prepare-se para muita dedicação, será necessária para reverter o clima inicial.

Durante o processo, todo problema que possa comprometer a qualidade da montagem de maneira efetiva precisa ser comunicado ao cliente. Já pequenos detalhes que não comprometem a montagem, por outro lado, precisam ser resolvidos e provavelmente nem necessitem conhecimento por parte do cliente. O montador de móveis precisa ter segurança sobre como agir cada um desses casos.

Alguns clientes gostam de acompanhar a montagem. Nesta situação recomendamos pouco papo e muito trabalho, Não escolha os assuntos, deixe o cliente tomar a iniciativa do tema que quiser. Limite-se ao emitir opiniões religiosas, políticas e esportivas ou qualquer outro assunto que envolva paixões irracionais. Falar é prata, mas o silêncio é ouro!

Na presença do cliente os ouvidos precisam estar disponíveis, não vá bancar o jogador de futebol com o headphone na orelha para se afastar de seus clientes, lembre-se que você não é celebridade. Eles se arrependerão bem mais tarde por desprezar os clientes, você se arrependerá bem mais cedo do que imagina.

Caso aconteça do cliente insinuar que o trabalho foi mais simples que o esperado, ele só tem duas coisas em mente, ou você é muito habilidoso ou cobrou caro demais, basta observar o semblante de o mesmo para ver a resposta correta estampada em sua face. Se estiver com ar de satisfação é a primeira, caso contrário, muita calma nesta hora.

Imaginamos que a montagem tenha fluido de acordo com o esperado, mas caso isto não seja a situação do momento, solicite ao cliente qual suas expectativas em relação à montagem em finalização. Esta insatisfeito com o produto? Quer alguma ajuda com relação à assistência técnica? Cuidado com o que fala sobre o produto, isto é um problema entre seu cliente e o vendedor, não torne as coisas piores do que já podem estar.

Mesmo com a montagem sendo efetivamente bem concluída coloque-se sempre à disposição de seu cliente para um retorno caso isto se faça necessário. Sabemos que é difícil retornar, mas se o relacionamento foi bem conduzido, o retorno será por uma questão de confiança e não de insatisfação. Isto é um ponto positivo em termos de fidelização.

Enfim, na hora da entrega técnica gaste um tempinho revisando o produto com o cliente e mostre que está tudo ok. Tire uma foto para documentar que a montagem foi bem sucedida, normalmente o cliente não se opõe, mas caso aconteça, tente mais uma vez pois isto é importante para seus registros profissionais.

Enfim, esperamos com este post ter alertado os montadores de móveis sobre quais os pontos críticos no relacionamento com o cliente no orçamento e durante a montagem, como os mesmos ocorrem e o que fazer para escapar dessas armadilhas. Por favor, usem o bom senso e pratiquem este simples conhecimento!

Bom final de semana!

C. Perin

1/15/2015

Shopping Centers - Montagem de instalações comerciais com a ajuda de Arquitetos

Montadores de Instalações Comerciais - Montagens em Shopping Centers são referenciais poderosos junto a arquitetos

Montador de Instalações Comerciais
O Portal do Montador volta ao tema das instalações comerciais. O assunto marcou presença por aqui em novembro de 2013 e novamente em julho de 2014.

Já explicamos que tipo de montagem é esta e passamos algumas dicas de como praticá-las. O tempo passou e percebemos que muitos montadores de móveis não conseguem ingressar neste segmento devido a basicamente três motivos.

O primeiro deles é obviamente o mais simples, não se capacitaram para executar a montagem de instalações comerciais. Você agora me pergunta, e como faço para me capacitar? O ideal seria que tivéssemos preparado o material para este treinamento, mas enquanto isso não existe, sugerimos que trabalhe como auxiliar um marceneiro que precisa de montadores em sua equipe.

O segundo é o seguinte, se você já sabe fazer este tipo de trabalho, agora precisa ter as ferramentas, caso contrário não conseguirá pegar o serviço diretamente como autônomo e ficará sempre na dependência de completar uma equipe já formada e contratada. Neste caso, estará trabalhando normalmente pela diária oferecida.

Mas aqui vem o terceiro motivo, é o fato de que este tipo de montagem, principalmente as que ocorrem nos shopping centers, quase que em sua totalidade saem dos escritórios de arquitetura. Então o caminho é criar parcerias com estes arquitetos, mas como? A resposta é simples, visitando os escritórios dos mesmos e se apresentando, deixando seu cartão e colocando-se à disposição. Normalmente eles dão preferência à marcenarias que já contam com sua equipe e o montador vem depois...

Saiba que não adianta ficar esperando em casa, apesar do contato, dificilmente este tipo de ligação acontecerá se você não conhecer o arquiteto, então neste caso é fundamental prospectar seus futuros clientes. Dentre os 3 motivos, alertamos que no primeiro está a questão de saber interpretar a planta do projeto, isto porque é algo obrigatório para quem deseja trabalhar com instalações comerciais.

Uma dica um nem tanto funcional para todos é conhecer o responsável pela manutenção da administradora dos shopping centers. Pelo fato deste responsável estar sempre evolvido nas reformas e manutenções das lojas, ter essa amizade, deixar um cartão e estar preparado para trabalhar na madrugada é uma chance inicial. Só que nem sempre dá certo, pelo fato de preferirem chamar preferencialmente a equipe que executou o trabalho de instalação inicial.

Como observaram, dá trabalho entrar neste ramo, mas é um tipo de montagem extremamente prazeroso, porque trará para o montador a oportunidade de trabalhar com muitos materiais diferentes da chapa de madeira. Teremos muito vidro, alumínio, detalhes de fechamento e o mais interessantes de todos, muitos acessórios e dispositivos de fixação fora do padrão do mercado residencial.

É uma oportunidade muito interessante unir duas peças com dispositivos invisíveis como o clamex, biscoito e acessórios que não fazem parte do mundo dos montadores de móveis modulados ou convencionais. Para os montadores de móveis que conhecem poucos acessórios ou dispositivos, recomendo tirar um dia para visitar a Rua do Gasômetro, próxima ao Mercado Municipal.

Nesta rua encontrará dos mais variados dispositivos e acessórios para marcenaria, então o negócio é entrar na loja, pedir para ser atendido e perguntar mesmo. O vendedor com certeza te atenderá, mesmo que isso não signifique uma compra, sempre poderá dedicar de 5 a 10 minutos para demonstrar o que tem disponível em seu balcão.

Pontos obrigatórios são também as feiras de fornecedores para a indústria moveleira e marceneiros ocorrendo anualmente na cidade de São Paulo. Sabemos que mais difícil para quem não está na área metropolitana, mas para o montador de móveis que se planeja, tudo é possível, basta querer.

Montar móveis em shopping centers enfim, é uma atividade realmente diferente para um montador que está acostumado a montar móveis convencionais, a impressão que este montador terá é que o serviço não rende, mas isso não é verdade. Este tipo de sensação decorre do fato que gasta-se muito mais tempo no acabamento do que na montagem.

A diferença do tempo adicional gasto no acabamento faz com que o montador não habituado acredite que encontra-se exercendo algo desnecessário, mas colocando-se do lado do lojista, vai entender que nossos olhos sempre procuram o "diferente".

Para um trabalho harmonioso, o diferente sempre será uma fresta maior do que deveria, uma prateleira fora do nivelamento, uma esquadrilha mal ajustada e coisas do tipo. O pior é que o lojista em geral observa a loja vazia neste momento, amplificando a sensação de qualquer coisa fora do lugar. Mas isto não pode amedrontar, precisa funcionar como um incentivo na busca da "montagem" que você quer fotografar e guardar para sempre como recordação.


Sucesso à todos!

1/12/2015

Vistorias Técnicas e Montagens: Como calcular os custos de deslocamento

Vistorias Técnicas, Visitas e Montagens, aprenda a calcular o valor do deslocamento e não erre no preço

Montador de Móveis Credenciado POM
Certos montadores de móveis, principalmente da cidade de São Paulo acabam travando uma dura batalha na hora de fechar o negócio com o cliente. Um dos fatores que mais interfere na hora de fazer o orçamento, é sem sombra de dúvidas, a questão do tempo de deslocamento.

Em algumas antigas postagens comentamos que o ideal para o montador é formar sua clientela nas imediações de sua residência ou então próximo a determinada área de interesse. Mas acontece que São Paulo como área metropolitana, chega a ser uma região extremamente complexa quando o assunto é deslocamento urbano.

O cliente quando liga, muitas vezes também não faz suas escolhas observando a localização do montador e este inclusive, não vai querer perder a montagem que apareceu, mesmo que esteja na zona norte e a montagem ocorra no extremo da zona sul. 

Existem reconhecidamente aqueles montadores de móveis que insistem no vício de anunciar distante de onde se encontram de fato, inflacionando o preço da montagem, por conta dos custos de deslocamento que obviamente serão repassados ao cliente.

Exposto o problema, vamos em frente na tentativa de ajudar quem gosta e precisa fazer suas continhas. Observem tudo o que encontra-se embutido no preço da montagem para o caso de um montador que trabalha de moto.

  • Depreciação anual da moto em função do valor de aquisição, por exemplo 10% ao ano, sendo que é mais que isso nos dois primeiros anos
  • Seguro Obrigatório, Licenciamento e IPVA anual
  • Lavagem da moto, por exemplo duas por mês (mesmo que seja você quem lava, está deixando de trabalhar, então precisa entrar no cálculo)
  • Obviamente o combustível diário (é preciso fazer uma média)
  • Custo do Jogo de Pneus
  • Troca de Óleo e filtro
  • Pedágio e Estacionamento (quando houver)
  • Troca da Relação (Coroa, Corrente e Pinhão)
  • Custo Anual de um capacete, uma jaqueta e um jogo de luvas
  • Gastos Gerais de manutenção
Observando a situação acima, estamos falando exclusivamente do deslocamento, mas tem a depreciação de ferramentas e outros, vamos porém ficar apenas no deslocamento neste momento, para simplificar as coisas.

Como podemos observar, o montador de móveis que não faz suas contas para descobrir tudo isso que ocorre de maneira anual e quanto custa por mês, não conseguirá ter um  critério adequado de formação de seu preço. 

Assim sendo, este montador correrá o risco de não conseguir trocar a moto no final do ano. Alias, essa motocicleta tem que ser encarada com parte de seu negócio, pois sem ela o montador de móveis corre o risco de inviabilizar sua profissão.

Sugerimos então que você faça uma simples planilha no excel (muitos telefones celulares já vem com as planilhas instaladas). Vai anotando os abastecimentos e as despesas que ocorrem diariamente de maneira que possa agrupá-las de acordo com as naturezas de despesas que indicamos neste post.

Você descobrirá que gasta com sua moto pelo menos o dobro do que imaginava, a surpresa não é das melhores, mas vai ajudá-lo a entender que isto precisa estar de uma maneira clara relacionado com seu orçamento. O mais o menos não vai te fazer evoluir, ao passo que a gestão de seus custos será capaz de trazer à você um crescimento administrativo que poderá um dia ser extremamente útil em sua vida de empreendedor.

Nossa sugestão final é a seguinte, some tudo o que desembolsa dentro de um ano de acordo com o que citamos (não precisa esperar o ano passar, faça estimativas), daí com o valor deste ano divida por 313 (que é 365 dias menos 52 dias de descanso), pronto, agora você tem o custo diário da sua moto. Fazendo um cálculo de quantos quilômetros anda no dia terá o custo de seu quilômetro rodado. Este é o valor que deve ser levado em conta quando fizer seu orçamento.

Sucesso e faça sua gestão de custos, porque você é um empresário!

1/10/2015

Móveis Planejados: Montagem cresceu em novos apartamentos de São Paulo e demais grandes cidades

Móveis Planejados (econômicos) invadiram casas e apartamentos da Classe C em 2014

Exemplo típico dos atuais apartamentos de 2 dormitórios comercializados
Os móveis planejados se renderam ao pensamento básico nesta década, foi um fato inevitável, as variáveis estiveram presente na economia desde o pós 2008 da crise imobiliária norte americana. O caminho escolhido estava claro, para manter as vendas e sobreviver, seria necessário para as construtoras reduzir os custos, ou seja, os espaços comercializados, diluindo o montante da obra em uma maior quantidade de unidades oferecidas.

Nova York saiu na frente, numa completa releitura do que um dia se chamou kitinete. Para tornar o imóvel acessível a um público de menor poder aquisitivo, a ideia de moradia foi totalmente reformulada, surgiam por lá os studios, redução das áreas individuais e valorização das áreas compartilhadas, podemos dizer que moradia tornou-se sinônimo de um mero lugar para dormir e fazer refeições quase que solitárias.

Embora com cerca de 2 anos de atraso, em 2010 já estávamos dentro do mesmo contexto onde o Minha Casa Minha Vida tomava corpo rapidamente, seja na forma de apartamentos bem como no padrão de casas de conjuntos habitacionais. O financiamento alongado foi o combustível da mudança. O mobiliário começou a "não encaixar" no ambiente então reformulado.

Neste momento, a indústria seriada ainda estava dotada de certa miopia, incredulidade ou ceticismo, aguardou para ver o que viria a acontecer, e pagou o preço numa rápida ocupação deste mercado pelas marcenarias existentes nas áreas metropolitanas brasileiras. Deixamos claro aqui que foram estes marceneiros das grandes capitais brasileiras os verdadeiros inventores dos móveis planejados econômicos (populares).

O mercado ficava assim de pernas para o ar. Os fabricantes de máquinas foram os primeiros a decifrar este enigma, adaptando-se rapidamente em oferecer máquinas e equipamentos de menor porte e maior flexibilidade, direcionados preferencialmente aos marceneiros. O lojista tradicional começou a questionar o porque da queda dos resultados acreditando que isto devia-se exclusivamente ao crescimento das vendas de móveis via eCommerce, mas as contas não batiam. 

Enquanto isso distribuidores de insumos e materiais para marceneiros viam as vendas em um movimento aquecido e crescente, este era o elo necessário do quebra cabeças que fecharia as contas que não estavam batendo até então. Neste momento alertei um grande varejista (2010) de que seria estrategicamente um excelente negócio montar uma fábrica de móveis planejados econômicos nos arredores de São Paulo capital, mas infelizmente talvez não tenha sido persuasivo o suficiente e a chance passou.

Estes apartamentos e casas de 2 quartos e aproximadamente 45 metros quadrados à partir de 2010 passaram a responder por cerca de 80% das obras residenciais em andamento no Brasil e mesmo assim poucos vislumbravam as variáveis que estavam gritando em nossos ouvidos e piscando na frente de nossos olhos. Mas eis que alguns finalmente perceberam e começaram a criar movimentação estratégica nesta direção.

Aliar customização com fabricação seriada era o grande desafio em questão e isto obviamente passava pela reestruturação do ponto de venda, das áreas de projetos, equipamentos, sistemas e emissão de ordens de produção com medidas variáveis (editáveis)  dentro de um mesmo modelo de produto. Observem que os softwares de ambientação decolaram neste período e os empresários do setor viram suas empresas quadruplicarem de tamanho em um curto espaço de tempo.

A indústria sofreu este aprendizado durante os anos de 2011 à 2013, mas finalmente em 2014, especialmente no Rio Grande do Sul (dada a maior qualificação técnica), o conceito que defendi desde 2008 passou a existir, móveis planejados populares em sistema de fabricação "quase que" seriado.

Uma dúvida recorrente foi escrever este artigo aqui no Portal do Montador, pois ainda acredito que teria mais visibilidade no Portal eMobile em meu blog de Gerenciamento Estratégico, também porque o conteúdo é denso. Aliás, este post acaba explicando a matéria recente de uma grande jornalista deste portal sobre os móveis planejados e modulados, demonstrando a capacidade de algumas indústrias moveleiras em adaptarem-se ao mercado recém transformado.

Decidi escrever aqui mesmo neste blog porque preciso alertar alguns bons montadores de móveis sobre a importância em evoluir para a montagem de móveis planejados, o mercado ainda é extremamente carente deste tipo de profissional e as oportunidades continuam muito atrativas, sobram clientes e faltam profissionais por incrível que pareça.

Uma observação importante é que o preço deste tipo de serviço não é o mesmo dos planejados de alto ou médio padrão, a realidade é outra. O montador de móveis precisa entender que este novo filão de mercado trabalha com outro nível de valores, levemente acima dos convencionais. Esta é uma vantagem pois alguns montadores de móveis planejados do passado recente não entendem como trabalhar esses valores reduzidos.

As mudanças continuam e varejistas do segmento popular começam a desfrutar os desdobramentos desta nova metodologia. É obvio que o mercado dos móveis convencionais seguirá liderando em volume de vendas, mas fica também claro que é neste exato nicho de móveis seriados que continua ocorrendo a grande guerra de preços e portanto onde reinam as margens reduzidas para 2015. 

Móveis modulados e planejados continuarão crescendo no mercado, mas agora em um menor ritmo dada a recente redução de crédito e também a relativa perda de pujança de nossa economia, fato que torcemos para ser um breve momento que já chega ao fim.

Caros montadores, boa leitura e olho vivo neste mercado!


C. Perin

1/09/2015

Instalação de Pisos Laminados ou LVT são diferenciais no ramo da montagem

Instaladores de pisos laminados - Pisos Laminados e LVT crescem nos imóveis e instalação é oportunidade para montadores de móveis

Instalador de Pisos Laminados
Dentro do ramo da construção civil algumas mudanças ocorrem rapidamente e outras com uma velocidade menor, porém de maneira constante.

O Portal do Montador sempre atento ao universo da montagem já informou cerca de um ano atrás sobre a questão da montagem de pisos laminados e LVT. De lá para cá a situação só fez crescer, pois é uma alternativa barata para quem não deseja o piso frio no quarto ou na sala.

Voltamos agora a insistir no assunto, pois a maioria dos montadores de móveis, por falta de conhecimento ou de ferramentas simples, ainda não trabalha com este produto, perdendo um boa fonte de renda, ao passo que muitos montadores vem se especializando na instalação tanto de pisos laminados como de portas, mas esta segunda fica para uma outra matéria.

Este mercado possui um grande espaço para crescimento e isto pode ser notado nas lojas de materiais para construção ou nas de itens para decoração, que oferecem o piso laminado junto com serviços de cálculo de metragem e ambientação via computador. (Estão também procurando colocadores de papel de parede).

Por incrível que pareça, este é um trabalho extremamente simples, basta ter cuidado e seguir as recomendações do fabricante quanto à fixação, existem dois tipos distintos, os vinílicos (PVC) e os madeirados. A instalação pode ser do tipo "click" ou do tipo "colagem".

Em geral as ferramentas são as seguintes: Serra tico-tico, serra circular, martelo, serra para esquadria,
formão, serrote e chave de fenda, podendo ocorrer algumas variantes que utilizam meia esquadrilha, tupia e algum tipo de fresa especial.

Existe um cuidado inicial com o nivelamento do substrato (o contrapiso ou próprio piso anterior), não podem existir desníveis maiores que 3 milímetros, caso existam, deverão ser corrigidos com cimento ou cimento cola, nunca utilizar cola pva na regularização...O trabalho não ficará bom e existe a questão da impermeabilização, a umidade é inimiga do resultado final.

Uma vez regularizado o substrato, caso ele seja um contrapiso de cimento, será necessária a utilização de manta entre o piso laminado e o contrapiso. Caso já exista um piso anterior, o procedimento leva em conta se o mesmo é de madeira, vinil, cerâmico ou pedras. A dica é aspirar o piso e remover as partículas de areia ou impurezas que atrapalham a correta aplicação do piso laminado.

O sentido de aplicação do piso segue o gosto do cliente, variando entre longitudinal, transversal e diagonal, lembrando que neste último as perdas são maiores por causa dos recortes, podendo chegar a 15% de perda de material, enquanto que no longitudinal e transversal as perdas ficam em média nos 8%, mas gosto é gosto, porém é importante alertar o cliente.

Durante a distribuição das réguas, é fundamental observar a amarração das mesmas, as emendas precisam ficar alternadamente distantes e bem distribuídas, tanto pela beleza quanto pela questão de favorecer que não desprendam durante o uso do dia a dia. Um cuidado importante é não deixar as réguas expostas à umidade, o ideal é abrir a caixa e aplicar no mesmo dia, sigam esta dica e evitarão empenamentos e outras situações desagradáveis.

Ao final da instalação existe um detalhe fundamental, ao cortar a última régua de cada fileira, é necessário girar a régua em 180º, com o lado decorativo para baixo, possibilitando a marcação do corte. Isto garante que a parte cortada ficará voltada para a parede, fácil né!

A fase que chamamos de acabamento é aquela onde serão aplicados os rodapés, dependendo do caso utilizam-se os blocos batentes, o importante porém é garantir sob o rodapé o espaço de dilatação do piso, ou seja, as réguas jamais encostam nas paredes, abaixo dos rodapés deve existir NO MÍNIMO 3 milímetros para a dilatação, isto evita o "levantamento" das réguas pois quando se dilatam irão subir nas emendas porque não podem crescer para a folga abaixo do rodapé, muito cuidado com isso, é aqui que se conhece os profissionais.

Os rodapés serão fixados com parafusos do tipo cabeça chata e normalmente a bucha que vai na parede é a bucha 5. O montador de móveis precisa estar atento pois estamos explicando aqui o básico e na verdade cada sistema de piso laminado possui seu método de instalação com algumas particularidades. O caso das escadas por exemplo já é um nível avançado e recomendamos aos montadores de móveis que desejam iniciar neste segmento, que evitem as escadas em um primeiro momento até pegarem prática suficiente.

Para concluir, informem-se com os manuais técnicos dos produtos e tenham em mente as diferenças entre os sistemas click e os sistemas colados. Sigam à risca os procedimentos de limpeza e boa sorte...Temos agora um montador de móveis e instalador de pisos laminados. Assistam os videos dos fabricantes no Youtube...verão que é mais fácil do que imaginavam.


Sucesso à todos!

1/08/2015

Montagem IKEA América do Sul e África mais próximas do que se imagina

Ikea América do Sul e África - Pontapé Inicial em redutos estratégicos ainda não consolidados 

Montador de Móveis IKEA
Distribuição Geográfica Ikea 2014
Montadores de móveis do Brasil, vivemos hoje os frutos da globalização, fenômeno que aconteceu com a fundamental e decisiva ajuda da internet. Não existem mais distâncias, existem agora mercados e estratégias, onde podemos observar os movimentos e com isso imaginar o que poderia ou não tornar-se realidade.

Sim , a IKEA já encontra-se no Oriente Médio, África e América do Sul, respectivamente através de Arábia Saudita, Egito e Guiana Francesa. Para aqueles que não a conhecem, trata-se do maior varejista de móveis do mundo, com a matriz localizada na suécia.

Observando o mapa apresentado, podemos constatar que com relação aos BRICS, não encontramos Índia, Brasil e África do Sul no mapa atual, porém, são países estratégicos prioritários nos planos de crescimento da varejista sueca.

Sabemos que 2015 será um ano  de reformulações econômicas no Brasil e o recado para os montadores POM é bastante positivo, acreditamos que em um futuro de médio prazo, estaremos montando móveis IKEA no Brasil. Obviamente que dentro de uma política local, onde muitos fabricantes nacionais estarão figurando na lista dos principais fornecedores da IKEA.

Para s montadores que não conhecem o modelo de negócios da IKEA, é algo próximo ao que temos aqui no Brasil como Tok&Stok,  Etna e alguns outros varejistas que, apesar de trabalharem com móveis do tipo RTA (desmontados) de custo relativamente baixo, não abrem mão do design e de um padrão de qualidade constante e confiável. O feeling de mercado dos mesmos é relativamente parecido.

Logo, não é tão simples ser um fornecedor IKEA, pois existem critérios bastante definidos na seleção dos produtos a serem comercializados. Conheço de perto a preocupação logística da IKEA e também entendo a importância dos requisitos de montagem. Este varejista, dentro de seu modelo de negócios, não comercializa produtos de montagem complicada, pois isto agride a alma de sua visão estratégica. Metodologia de embalagem, estrutura física do produto, tipo de acabamento e diversos outros são parâmetros de aquisição, complementarmente ao design.

Em algumas viagens que tive a oportunidade de realizar na Europa e América do Norte, sempre coloquei como ponto obrigatório destas viagens, visitar algumas de suas lojas. Isto foi importante para observar a estrutura funcionando, em outras palavras, qual o perfil de atendimento, como se traduz o prazo de entrega, qual é o mix de produtos, seu preço e também e como funciona sua apresentação visual (exposição). enfim, seu "modus operantis".

Parece simples, mas não é. Estar presente em diversas culturas é um desafio para lá de complexo. Talvez seja este o fato de uma relativa demora em atuar no Brasil, aqui as coisas costumam ser mais voláteis e portanto menos confiáveis. Isto não agrada o modo europeu de enxergar as coisas. O empresário brasileiro por outro lado aprendeu a sobreviver neste cenário dinâmico porém simultaneamente burocrático, então podemos esperar uma IKEA com certo tempero latino, é nisto que acredito.

E o montador de móveis, o que pode esperar deste contexto? E aqui temos uma resposta bastante positiva, estejam certos de que isso quando ocorrer, será  muito interessante para o mercado brasileiro, capaz de imprimir a ideia de que os móveis precisam conter o apelo que passe pela simplificação da montagem e garantia de um padrão de qualidade confiável e repetitivo. Alguns fabricantes ainda acreditam que tudo se resume no preço, estes definitivamente não serão fornecedores IKEA.

Ainda com relação à logística, a IKEA trabalha de uma maneira pela qual a confiabilidade no cumprimento de datas de entrega seja parte fundamental da venda. Novamente aqui torna-se importante a questão do saber quais os fornecedores que entendem a importância desta variável dentro do modelo de negócios.

Este será um segundo ponto positivo para o montador de móveis, imaginem produto e montador chegando na casa do cliente no mesmo dia? Sim, este é um dos grandes desapontamentos atuais do cliente brasileiro, ter o montador e não o produto ou ainda pior, ter o produto e ficar aguardando o montador de móveis.

Identifico as dimensões continentais do Brasil e nossa deficiente infra estrutura logística como um dos pontos que protelaram a operação da IKEA em território brasileiro, mas quando olho para o mapa apresentado, tenho a certeza de que não existe futuro de crescimento para este grupo que não considere a passagem pela África e América do Sul. Isto transmite uma certa "premonição fácil" de que 2015 será um ano em que o varejo brasileiro poderá observar movimentos atípicos dentro do segmento moveleiro.

Para quem acompanha este mercado de perto, home centers como Leroy Merlin, Telha Norte e outros já tiveram visão suficiente para enxergar certos espaços no varejo de mobiliário, considerado um plus na venda dos materiais de construção e utilidades domésticas. Quanto ao montador de móveis autônomo profissional, quanto maior a profissionalização do mercado de móveis tanto melhor para um horizonte de trabalho mais dinâmico e promissor.


Saudações a todos neste 2015!

C. Perin