Rede de Montagem e Assistência Técnica POM

O cliente espera um bom serviço, não está interessado em assuntos paralelos. Não diminua o produto, nem o profissional anterior, caso exista um.

Portal do Montador ME - Anúncios de Montadores

PortaL do Montador ME - Montador, anuncie em espaço prático, dedicado exclusivamente à divulgação de serviços de montagem de móveis em todo o Brasil.

Montador de Móveis Credenciado POM Brasil

A realização de um bom trabalho vai além do resultado final. Um profissional de sucesso realiza suas atividades com cuidado, organização e planejamento.

Montadores de Móveis Profissionais

A boa montagem nasce de um projeto bem feito, matérias-primas adequadas, processos de fabricação padronizados e principalmente de um montador de móveis capacitado.

Montagem, Desmontagem e Remontagem de Móveis

O consumidor precisa aprender a distinguir montadores de móveis profissionais e montadores de móveis eventuais. Por melhor que seja o produto, corre-se o risco de danificá-lo.

Montagem de Móveis Corporativos e Residenciais em diversas cidades do Brasil
Orçamento montador de móveis POM
 

8/31/2013

Portal do Montador - Video de Divulgação (montador de móveis)

Portal do Montador
Conforme prometemos, o Portal do Montador segue dia após dia, crescendo como a maior fonte de busca por serviços de montagem no País. Estamos nos organizando para oferecer muito mais, apesar do tanto já feito em tão pouco tempo.

Os esforços continuarão na mesma direção, avaliar os montadores de maneira que o cliente consiga diferenciar os profissionais pela reputação construída, o processo é lento, porém muito valioso. Então clique no botão e assista o nosso vídeo de divulgação captado em 30/08 no Shopping Interlar Aricanduva. Se você já faz parte deste projeto, compartilhe em sua página. Sucesso a todos!
 

8/27/2013

A Boa Montagem : Identificando e administrando os pontos críticos, aprenda com os mestres!

Efetuando a boa montagemEngana-se quem acredita que montar móveis é uma tarefa puramente prática. Observando montadores experimentados em seu exercício profissional e depois comparando seu processo de trabalho com um montador menos experiente, podemos facilmente entender a importância deste post para o treinamento de montadores de móveis recém chegados na profissão.

Acontece que o montador experiente executa de maneira automática diversos passos que são os verdadeiros responsáveis pela garantia do sucesso da montagem do móvel. Muitas vezes baseados neste procedimento padrão implícito, acabam por não transmitir de maneira teórica este rico conhecimento.

Então vamos à ele, o passo-a-passo da boa montagem agora escrito! O raciocínio estruturado do montador profissional agora revelado e ao alcance de todos os montadores que julguem este post relevante.

1) Identificação do produto a ser montado. Neste primeiro exercício mental, o montador que conhece as características do  produto já é capaz de avaliar as ferramentas e etapas e exigidas pela montagem e relacioná-los com os dispositivos e ferragens existentes.

2) Observação do espaço destinado à montagem do produto. Portas, janelas, hidráulica, elétrica, sancas e demais características funcionais, bem como a área de trabalho efetiva em termos de espaço operacional para movimentação e disposição do produto durante todo o processo.

3) Organização do ambiente onde a montagem se dará. Etapa fundamental do processo, pois neste momento o montador estará avaliando o espaço físico necessário para a montagem frente ao espaço disponível e qual a melhor estratégia de montagem a adotar caso exista mais que uma.

4) Movimentação do produto. Normalmente as embalagens não estão no local que será o palco da montagem. Isto porque o momento da entrega não é, em grande parte das ocasiões, o momento da montagem. Sendo assim, a tarefa crítica de movimentar o produto ainda embalado acaba caindo nas mãos do montador. Carinho e paciência são as palavras da vez. Também é bem-vinda uma oração para não encontrar a temida escada caracol...

5) Abertura das embalagens. O montador inteligente tem nesta etapa a responsabilidade de ter o cliente preferencialmente ao seu lado, inspecionando em conjunto toda e qualquer ocorrência diferente do esperado em termos de conformidade do produto adquirido.

6) Ordenação das etapas de montagem, preparando organizando as peças em uma sequência lógica de acordo com os passos da montagem. Também neste momento existe a preocupação com a proteção das peças quanto ao contato com qualquer outro corpo estranho que não seja as mãos ou ferramentas do montador. Proteção do piso com a própria embalagem, remoção de mobiliário alheio ao processo de montagem e qualquer cuidado adicional são bem vindos aqui. Os curiosos podem assistir, mas precisam manter a distância.

7) Execução da montagem propriamente dita. Cuidados adicionais como a garantia do esquadro entre as peças principalmente na fixação dos fundos, nivelamento do produto em relação ao piso, regulagem das portas e gavetas são itens obrigatórios na boa montagem. O montador profissional vai conferi-las mais uma vez ao final do processo.

8) Restauração do ambiente da montagem. O bom montador tem como "obrigação" devolver o ambiente melhor do que encontrou. Plásticos, papelões, calços, cintas e todo o material descartado precisam ser removidos e o chão varrido ou até mesmo limpo para a entrega do produto. Este tipo de atitude acaba de maneira indireta contribuindo para a imagem do produto. Não adianta uma obra de arte misturada ao lixo, o bom montador sabe disso.

9) Entrega do produto. Nesta etapa é chegada a hora da coroação do trabalho, o montador apresenta o produto e suas características, experimenta portas e gavetas na frente do cliente e o convida a fazer o mesmo, testando todas as funcionalidades do móvel adquirido. Entrega seu cartão, faz seu comercial e despede-se cordialmente. Novas oportunidades surgirão efetivamente aos que seguem todos os passos acima.


Sucesso a todos!

8/17/2013

Problemas de Montagem: Contornando e Evitando uma Assistência Técnica

Portal do Montador de Móveis
Nem todos os dias são iguais, nem tudo é perfeito e nem sempre é possível resolver nossos problemas. A vida é assim...

Quem trabalha neste ramo de montagem de móveis bem sabe do que falamos. Até o produto finalmente chegar na casa do cliente, inclusive nos casos de móveis sob medida, muitas são as armadilhas de percurso.

A primeira delas já foi comentada, o projeto em si, porém o caminho é extenso após essa etapa. As falhas podem surgir nas mais variadas etapas: Da fabricação, da embalagem, do estoque do fabricante, do transporte até o lojista, do armazenamento no lojista, do transporte até a casa do cliente e até mesmo infelizmente pelas mãos do montador.

Neste post nos limitaremos à seguinte situação: O montador está na casa do cliente, a embalagem estava intacta no momento da abertura, o cliente está de olho em cada detalhe  e a montagem já se encontra em curso. Senhores, é o avião em pleno vôo aparentemente perfeito, está tudo nas mãos do montador, o comandante do produto e o responsável pela satisfação do cliente!

Repentinamente aparece um problema na montagem do produto, hora de raciocinar!

1) É um problema sem solução? Está faltando um item? Existe uma peça que não pertence ao produto? Apareceu uma peça avariada sem condições de recuperação? Bem, se foi um desses casos...fim da linha, hora de abrir o terrível pedido de assistência técnica.

Claro que o aborrecimento do cliente será bem maior  que o seu, afinal é ele quem vai ficar com o problema em casa. Porém, é importante que ele saiba que você fez o seu melhor e reconheça seu empenho. Seja calmo, prestativo e ajude em tudo o que puder, mas a bola agora é do cliente,.

Temos um momento delicado na situação comercial, já que ambos perderam. Seja solidário e ofereça seus serviços para quando a técnica chegar. Valores passam a ser assuntos secundários, preocupe-se em ajudar o cliente, a recompensa profissional vem para quem age dessa maneira, esteja certo disso!

2) O problema pode ter solução, mas será necessário alterar as características do produto de forma que ele vai perder a garantia. O Portal do Montador não aconselha este procedimento, mas reconhece que existem montadores marceneiros com uma elevada bagagem técnica e profissional. Esses profissionais, via de regra explicam o que é possível fazer e solicitam ao cliente que preencha um Termo de Autorização, para que as alterações técnicas sejam executadas.

Assim como o POM, lojas e fabricantes não apoiam este procedimento, mas todos sabem que ele existe. O cliente é o dono do produto, cabe a ele decidir se este tipo de decisão compensa.

3) O problema pode ter solução pois são necessárias pequenas alterações e o montador tem habilidades técnicas e recursos de ferramental para isso. Normalmente nestes casos, temos peças com furação ausente ou errada, mas que ficam ocultas. Peças de medidas maiores que o necessário, mas que podem ser diminuídas. Peças com acabamento ausente do lado onde deveria existir, mas que podem ser revertidas. Itens faltantes que são padronizados como parafusos, dobradiças e outros que o montador normalmente possui sobressalentes, ou ainda pequenos defeitos de acabamento que podem ser retocados.

Neste último caso descrito, o Portal do Montador decididamente está convencido de que vale à pena o ajuste do produto para que uma assistência técnica seja evitada, todos saem ganhando. Para chegar a este nível, como dito...o montador de móveis precisa ter uma bagagem profissional. Este é o profissional que as lojas procuram, é o cara que resolve e que infelizmente não existe em abundância no mercado como gostaríamos.

Para este tipo de profissional as portas sempre estarão abertas, pois ele atua com profissionalismo e sabe muito bem onde esta pisando.

Sucesso à todos e bom final de semana!

8/12/2013

Móveis Seriados: Influências do projeto na Montagem e Desmontabilidade

Montagem e Desmontagem de Móveis
Algumas situações encontradas nos móveis seriados durante a montagem nos fazem questionar o processo do "projetar" tais produtos. Discorremos  sobre falhas e detalhes de projeto ou de fabricação que não poderiam ainda existir no mercado moveleiro.

Uma pergunta reveladora feita aos montadores pode trazer surpresas interessantes. "Quais marcas de móveis são mais fáceis de se montar?" O segredo é saber o que  perguntar, pois o correto questionamento pode  revelar dimensões curiosamente desconhecidas sobre o produto que fabricamos.

Por trás desta pergunta, existem os mais variados fatores que quando em conjunto, resultam no diferencial da montagem entre produtos muito parecidos. Chegamos inclusive a nos defrontar com uma certa "inocência" no projeto, talvez traduzida pela falta de vivência do projetista no segmento moveleiro, ou pior ainda, pelo desinteresse sobre o que acontece depois, durante a montagem do produto.

O Portal do Montador mais uma vez encara o desafio de contribuir com a solução de problemas como este. Para tanto, iremos desmembrar a pergunta lançada em dimensões de projeto.

1) Normalmente, os móveis possuem a característica da composição em múltiplos volumes. Raros são os produtos com esta particularidade. Mas qual é o efeito desta propriedade? Primeiro fato curioso...um projetista de móveis seriados DEVERIA saber a resposta, vamos à ela.

No ambiente de montagem, o elemento mais raro é o espaço disponível, guarde esta definição como uma verdade absoluta. Se as peças necessárias na sequência de montagem estiverem em volumes separados, obviamente o montador necessitará abrir diversos (ou todos) os volumes simultaneamente. Isso produz sérias consequências, vamos à elas.

  • Redução do espaço de trabalho do montaddor
  • Aumento das chances de acidentes com as peças (potencial de técnica)
  • Redução da produtividade do montador, pois terá mais variáveis a controlar simultaneamente
  • Demérito profissional do montador, dado pela sensação de  ambiente desorganizado por parte do cliente, gerado pelas peças espalhadas

2) Ainda sobre a falta de espaço, diversas são as situações em que o produto precisa ser montado já em seu local definitivo, ou seja, não existe espaço para a famosa montagem deitada. O produto precisa, na linguagem dos montadores, ser montado em pé.

Infelizmente, mais uma vez, diversos produtos são projetados sem levar em conta essa dura realidade nos dias atuais, de que os espaços nos grandes centros estão a cada dia mais disputados. Falamos de apartamentos de 70 metros quadrados com 3 dormitórios, pense nisso!

3) Já citada em outro artigo sobre esquemas de montagem, a questão do passo-a-passo do processo de montagem. O esquema precisa trazer de maneira suficientemente clara, a melhor sequência de montagem, senão a única.

4) Embora nem sempre aplicável, a teoria dos subconjuntos precisa ser considerada. Para os projetistas pouco experientes, vamos explicar...Uma gaveta é um subconjunto de um criado ou cômoda, pode ser montada em separado. Um kit gaveteiro pode ser um subconjunto de um roupeiro, e assim por diante. A existência dos subconjuntos ajuda substancialmente os montadores, que assim podem executar posteriormente o agrupamento de sub montagens.

Não é à toa que ele monta uma gaveta antes e nela deposita os acessórios, está aplicando pela prática três conceitos simultaneamente, a montagem dos subconjuntos, o acesso visual aos elementos de fixação e a maximização do espaço de trabalho.

5) Padronização do plano de furação deve ser aplicada, os furos precisam ter baixa diversidade de diâmetros. Um bom projeto de roupeiro pode ser feito com 3 diâmetros apenas, vale à pena colocar os neurônios para funcionar

6) Finalmente a questão da desmontabilidade do produto, apesar de cada vez mais uma commodity, o mobiliário do tipo "ready to assembly" foi idealizado para tornar mais simples a vida das pessoas e isto inclui a necessidade de mudança de moradia.

Elementos estruturais que não danifiquem a madeira ou painel  devem ter preferência de utilização. Cola ou fixações definitivas, somente no máximo em subconjuntos. Pregos do tipo estriado devem ser evitados, assim como parafusos estruturais de alma delgada. Dispositivos do tipo minifix aumentam a desmontabilidade, mas aumentam também o tempo de montagem.

Concluindo, esperamos neste post ter conseguido demonstrar que a questão "Quais marcas de móveis são mais fáceis de se montar?" possui uma infinidade de variáveis que a explicam. O montador sabe sentir as consequências de todas elas no seu dia-a-dia, onde tempo de montagem é o grande desafio da profissão.

Coube ao Portal do Montador traduzir, embora de uma forma resumida, algumas das variáveis que contribuem nesta percepção. O fabricante de sucesso economiza o tempo do montador de seus produtos, pois sabe da inportância de um projeto funcional.

Uma semana produtiva a todos!





8/08/2013

Montador de Móveis: O novo cenário virtual pós Pereirão

Montador de Móveis Virtual pós Pereirão
Neste post iremos avaliar a combinação de 3 elementos distintos e o efeito desta combinação. Vamos falar sobre o montador de móveis, a internet e o Pereirão (Griselda da novela Fina Estampa).

Desde 1998, com a popularização dos mecanismos de busca na internet, dois elementos já estavam presentes em nosso cenário (montadores de móveis e internet). Mas foi somente em 2011, com a novela Fina Estampa que a energia de ativação (estopim) de uma enorme mudança comportamental na prestação de serviços ocorreu.

Pudemos ver a internet se inundar com sites e blogs de prestadores de serviço, que rapidamente migraram das mídias convencionais para o mundo digital, seguindo o fenômeno da novela, bombardeando os que lá silenciosamente se instalaram primeiro. Pudemos também observar bons profissionais naufragando pela dificuldade em se adaptar a este novo mundo e tantos outros crescendo em função de uma visão mais privilegiada do momento.

O foco do profissional perdeu-se e com ele nasceu a guerra declarada de preços. Alguns montadores passaram a julgar que técnicas de SEO (aparecer na frente no Google) seriam a única vantagem frente aos demais. Este modelo, aliado ao repasse de serviços através de comissionamento aprisionou ainda mais aqueles de menores habilidades em informática, mesmo que excelente montadores de móveis.

O sonho de liberdade não foi tão efetivo como planejado. Parecia que criar sites era mais importante que montar móveis, o montador mediano com site no ar levava enorme vantagem frente ao montador excelente sem presença na internet. A insensatez falou mais alto sufocando o idealismo da profissão.

Infelizmente o mercado foi nivelado pelo preço, os bons profissionais ainda sofrem diante desta condição, quando perdem orçamentos justos para situações com valores inviáveis. Não temos uma solução pronta, mas o Portal do Montador acredita na possibilidade de um novo cenário virtual, diferente do que existe no presente. Acreditamos na possibilidade de resgatar o valor profissional e a dignidade dos montadores que assim o desejarem.

É verdade que o cliente quer o melhor preço, mas antes disso, ele quer o serviço adequado à suas necessidades. Todos sabemos que tais variáveis (preço e qualidade) não se combinam perfeitamente. Assim sendo, o cliente certamente encontrará um ponto de equilíbrio, um valor que considera justo pelo trabalho profissional que procura.

Entendemos que a avaliação dos serviços prestados, diferente das técnicas de SEO, blogs e sites ou qualquer outro artifício, é a única solução viável para valorizar os bons profissionais. Não pregamos que abandonem seus sites e blogs, pois eles trazem uma excelente exposição junto aos clientes potenciais. Apenas insistimos na questão de um histórico profissional, possível apenas através da avaliação dos serviços. É através da construção de uma reputação que os bons profissionais serão reconhecidos.

A energia canalizada para construir sites deve ser direcionada para a melhoria dos serviços de montagem prestados. O fim das noites mal dormidas cuidando do Blog pode significar montagens com maior dedicação. O profissional que entrou mês passado no mercado e aparece na frente no google é melhor que outro com 20 anos de montagem? Não é isso que o cliente procura, mas pelo imediatismo e deslealdade entre alguns montadores, ele faz escolhas erradas gerando retrabalho do serviço contratado.

Oferecemos um novo serviço e como trilhamos um caminho novo, sabemos que seguimos rumo ao desconhecido. Para muitos parece improvável acreditar no montador chegando na casa do cliente com um tablet e pedindo para ser avaliado pelo serviço prestado. Porém, os que assim o fazem, sabem exatamente para onde desejam ir e como fazer para chegar lá. Como disse Cesar, "a sorte está lançada!"

Sucesso a todos!


8/07/2013

Classificando os montadores de móveis profissionais pela complexidade da montagem

Classificando os Montadores de Móveis
Existe uma enorme confusão no momento em que desejamos definir o que é um montador de móveis profissional. Principalmente porque o fato do profissionalismo não determina nem assegura a complexidade das competências técnicas.

Em outras palavras para um exemplo mais simplista, dentro do modelo educacional, os estudantes são subdivididos em grupos de acordo com sua bagagem de conhecimento: Ensino fundamental, ensino médio e ensino superior. Independente do estágio em que se encontram, todos eles são estudantes, com níveis estabelecidos que são as séries que cursam como também pela performance, que são suas respectivas avaliações.

Traçado este paralelo, profissional é o montador que realiza montagens sistematicamente e não de maneira eventual combinada com outras atividades comerciais. De maneira objetiva, o montador profissional é aquele que retira seu sustendo "principalmente" da execução de montagem de móveis.

Estabelecido este primeiro conceito, agora torna-se possível classificar o montador de móveis profissional de acordo com a complexidade de suas atividades técnicas. O universo do mobiliário é extenso e bastante diversificado dadas tantas nuances de projeto, design, funcionalidade, aplicabilidade, estilo cultural e uma vasta gama de outras características, onde este não é nosso objetivo.

Observando pelo ângulo das características de complexidade da montagem, estaremos classificando os móveis da seguinte maneira:

1) Móveis Convencionais (Individuais)
2) Móveis Modulados (componíveis)
3) Móveis Corporativos
4) Móveis Planejados
5) Instalações Comerciais

Partindo deste agrupamento, o montador profissional pode realizar montagens de grau de dificuldade crescente de 1 a 4. Obviamente que o montador de móveis planejados está qualificado a montador todos os demais tipos, porém...isto não tira o profissionalismo do montador de móveis individuais, o nível menos complexo. Este é o raciocínio que importa. Montadores, lojistas e clientes precisam entender a dinâmica deste raciocínio, sob o risco de incorrerem no erro de utilizar a mão-de-obra incorreta para determinada montagem.

Existe ainda o próximo degrau da complexidade profissional, quando um montador de móveis planejados consegue atingir o grau de Marceneiro, ou seja, já é capaz de projetar, executar e modificar um produto utilizando ferramentas, processos e técnicas avançadas. Recomendamos neste caso, que este montador faça o curso de marcenaria do SENAI.

Concluindo o objetivo deste post, segue a estratificação técnica do montador de móveis:

1) Montador de Móveis Convencionais (Individuais)
2) Montador de Móveis Modulados (componíveis)
3) Montador de Móveis Corporativos
4) Montador de Móveis Planejados
5) Montador Marceneiro (lembrando que dentro deste estágio, existem novamente diversas segmentações)

Esperamos com isso ter esclarecido de vez a confusão que se faz quando um montador é taxado como amador. Ele tentou fazer uma montagem acima de seu nível técnico? Ele foi forçado a isso? Enfim, muitas são as hipóteses, mas voltamos a repetir, existe o montador adequado a cada nível de complexidade da montagem. Atentem a isso e estarão garantindo um bom começo, entretanto, é PROIBIDO treinar nos móveis do cliente. A capacitação nasce em outros locais, tenham isso em mente!


Sucesso a todos!

8/06/2013

Montador de Móveis: Como exercer o Profissionalismo Total no cliente

Montador de Móveis profissionalismo junto ao cliente
Engana-se quem pensa que profissionalismo é apenas o trabalho perfeito. Somos mais que isso, assim como nossas relações interpessoais. O único fato verdadeiro é que estamos o tempo todo sendo rotulados, avaliados, comparados e classificados por aqueles que nos rodeiam.

Observem o quanto se gasta no frasco do perfume, muitas vezes mais do que no próprio conteúdo. Mas o objetivo não era apenas agradar o olfato? Porém foi investido no visual, no tato, na ideia por trás do aroma...chamamos isso de continente. Na prestação de serviços vale a mesma regra, onde o resultado do trabalho é o conteúdo e as relações interpessoais são o continente.

O tema deste post não é a montagem do produto em si, mas sim tudo que a complementa. Não existe conquista ou fidelização  do cliente sem tais complementos, então vamos à eles. O que seria o montador de móveis perfeito? A montagem do produto impecável já é fato consumado, precisamos ir além deste conceito!

Durante a fase de seleção profissional, seu cliente estará observando como o montador de móveis se apresenta na internet, jornal e demais formas de veiculação utilizada para promover seus serviços. Cuidado com o que escreve e como vende seu peixe, seja atrativo com seriedade.

O relacionamento prefeito nasce bem antes da montagem, já durante a fase de orçamento seu cliente estará avaliando sua coerência de argumentos na definição das atividades e na formação de preços, então seja claro e objetivo, economizando o tempo de ambos.

Caso tenha fechado um negócio com a verdade, seus argumentos certamente foram poderosos. O primeiro passo foi bem dado, mas agora a responsabilidade aumenta, precisará cumprir exatamente o que foi acordado para satisfazer o cliente e até mais que o combinado para surpreendê-lo.

Cumpra o horário, chegue na casa do cliente entusiasmado e com a melhor aparência pessoal possível, mesmo que não seja a primeira montagem do dia. Tenha uma camisa extra na mochila, um desodorante, um chiclete ou bala para usar assim que for lançar o primeiro contato pessoal com seu cliente. Reforce a imagem que vendeu quando lutou por este serviço.

A caixa de ferramentas é seu cartão de visitas e fala muito sobre você, precisa estar ao menos "conservada". Entrar com uma caixa detonada é como ir num aeroporto com uma mala velha, todos vão reparar. Nada de bermudas, chinelos, correntões, cabelos e barba descuidados, gíria ou palavras inadequadas. Solado de borracha é melhor para não fazer barulho nem riscar o piso do cliente. Lembre-se, está entrando em um território novo e desconhecido, aja com prudência. Reconheça o terreno, tomadas, canos hidráulicos e todas informações que o cliente possa fornecer sobre o ambiente.

Neste primeiro momento, identifique o produto a ser montado e reduza a ansiedade do cliente. Tente explicar da melhor maneira possível, o trabalho que será realizado, suas responsabilidades, expectativas de duração e resultados esperados de tais atividades. Por favor, mesmo que apertado, ainda não é hora de pedir para usar o banheiro, acabe sua apresentação antes.

Hora de colocar a mão na massa, nada de som ou headphone no ouvido, esteja acessível à comunicação direta. Nada de fazer piadas, usar apelidos, maltratar o ajudante, ficar se coçando, utilizar tom de voz inapropriado, apoiar-se nos móveis, mexer nos objetos ou tomar qualquer atitude que implique em intimidade inconveniente junto ao cliente.

Ele quer seu serviço, talvez queira sua amizade também, mas não é obrigado a isso e sim apenas a ser educado e cortês com quem realiza a montagem. Peça educadamente ajuda em tudo o que se fizer necessário, não tente descobrir onde ficam as "coisas" que precisa para seu trabalho.

Conforme a montagem evolui, caso tenha aquele acompanhamento "bem de perto", aja com naturalidade. O cliente quer apenas ter a certeza de que fez uma boa escolha quanto ao profissional contratado e que a montagem caminha para uma atividade bem sucedida. Transmita tranquilidade e serenidade.

Finalizada a montagem, é hora de recuperar a aparência do espaço de trabalho. Faça uma boa limpeza em tudo o que está diferente de quando entrou. Agora é um ótimo momento de entregar seu cartão e pedir ao cliente novas recomendações, faça seu marketing pessoal.

Hora de se despedir...agradeça a oportunidade e cultive este canal de comunicação, pronto...mais um cliente conquistado, mais uma porta que se abriu. Se tudo isso aconteceu, você acaba de exercer o Profissionalismo Total referido no título do Post. Em palavras modernas...você é o Cara!


Sorte e sucesso!

8/02/2013

Montador: Um dia produtivo de montagens começa na noite anterior!

Check List para o Montador de MóveisPara alguns o sol ainda não nasceu, mas o dia de batalha já começou e com ele muitas incertezas. Vamos voltar um pouquinho no tempo, quase hora de dormir, corpo doendo e cabeça cansada. Ainda assim é hora de trabalhar para que o dia seguinte seja o mais produtivo possível com o mínimo de surpresas.

Vamos falar sobre Check List, o nome parece difícil, mas é uma simples conferência das tarefas importantes que são necessárias. Olhando para nosso mundo particular, amanhã tem cliente...então, hora de se preparar.

Cada montador pode ter suas particularidades, vamos nos atentar às atividades mais comuns.

1) Horário de acordar, por garantia, despertador programado e à postos.
2) Roupa do dia seguinte já está separada e no jeito.
3) Vale transporte, bilhete único, dinheiro da condução, ou veiculo abastecido, enfim...tranporte garantido.
4) Endereços dos clientes na agenda, sequência de trabalho definida
5) Para quem tem GPS, caminho programado. Cidade grande, tendo GPS ou não, o velho guia na mochila.
6) Ferramentas em ordem, parafusadeira e celulares colocados para carregar. O dia pode ser longo!
7) Apresentação pessoal, barba e unhas feitas antes de dormir evitam correria da manhã, o dia se inicia menos tenso.
8) Sabemos que é duro, mas uns trocados na carteira ajudam fazer o troco do cliente e são uma reserva para emergências.
9) Caso trabalhe com ajudante, ensine seus hábitos, não adianta você ser eficiente e seu parceiro não.
10) Se possível tenha uma fonte de consulta dos videos/esquemas de montagem do dia seguinte ou ao menos uma mentalização do produto que será montado. O POM está trabalhando nisso, mas ainda temos um longo percurso até os fabricantes entenderem essa necessidade dos montadores.
11) Mantenha na mochila itens críticos como cavilhas, porcas plásticas, minifix, parafusos normalmente usados, um kit de cera para pequenos reparos e uma flanela. Você sabe melhor que ninguém os itens que podem salvar o dia, reduza esses riscos pois abrir uma embalagem pode ser um caixinha de surpresas.

Pode parecer luxo para muitos, mas não vá sair de jejum ou com café puro na barriga, é preciso um pãozinho também, senão vem aquela dor de cabeça da fome e junto com ela o mau humor e a queda de produtividade. O cliente não merece isso.

Temos certeza de que com essas pequenas dicas, seu dia pode ser muito mais produtivo. Sinta-se à vontade em comentar o Post com novas idéias, estará contribuindo para o crescimento profissional de muitos colegas.

Montadores, boa sorte e um excelente dia de trabalho!