Montagem de Móveis Corporativos e Residenciais em diversas cidades do Brasil
Orçamento montador de móveis POM
 

2/13/2017

10 Motivos para valorizar um Montador de Móveis Profissional

Diferenciais do Montador de Móveis Profissional

montador de móveis profissional

Estamos em 2017 e um longo processo chega em sua etapa final, a questão da montagem de móveis terceirizada. Aqui mesmo no POM temos falado deste assunto desde 2013 e de maneira mais direta do ano de 2015 em diante.

Obviamente que a questão econômica ajudou a tomada de decisão daqueles lojistas que tinham ressalvas sobre o tema. Realmente não é fácil colocar o fechamento da venda nas mãos de montadores de móveis terceirizados. Mas enfim, mais de 50% do mercado já trabalha desta forma atualmente nas grandes metrópoles.

Contudo observamos que estamos extremamente distantes do que se poderia se chamar de um padrão de qualidade claramente definido. Aventureiros, curiosos, profissionais pouco treinados e inclusive sem algum treinamento participam de forças tarefa de montagem espalhadas pelos grandes centros urbanos de maneira sorrateira.

Diante deste cenário, o cliente final continua pagando a conta. Se por um lado as lojas reduziram (parcialmente) o valor embutido da montagem, por outro o cliente fica à merce de ser atendido por mão-de-obra sem a devida qualificação básica necessária.

Chegamos portanto em uma questão básica, pontuar quais são os indicadores de que estamos tratando com montadores de móveis realmente profissionais. O cliente precisa de alguma maneira estar atento à esses fatos:

1) Estrutura Oferecida - Existe uma grande variedade neste quesito, mas o que conta aqui é a questão do montador ser MEI (ter CNPJ) ou não. Caso não o tenha, vem a questão do tempo de de experiência como montador de móveis autônomo. Atender com CPF limita o mercado de trabalho do montador de móveis.

2) Preço - Quem não gosta de economizar, não é mesmo? Mas cuidado, muito cuidado mesmo com o preço baixo. Por favor desconfie antes que seja tarde. Um profissional autônomo não tem férias, nem décimo terceiro muito menos auxílio por afastamento. Obviamente que tudo isso pesa. Em termos trabalhistas existe aí seguramente 60% de diferença na hora trabalhada de um assalariado e de um autônomo. dias especiais como domingos e feriados obviamente são mais onerosos. Horários noturnos recomendamos apenas para pessoas jurídicas ou locais que ofereçam segurança para ambos, tanto prestador como cliente.

3) Agendamento - O montador de móveis comprometido com sua agenda avisa ANTECIPADAMENTE quando surge um problema com o atendimento agendado. Contato posterior é mera desculpa que NÃO justifica a ausência, nem a falta de responsabilidade com a profissão.

4) Quem é o montador contratado - O cliente tem o DIREITO de saber por quem será atendido. Particularmente sem foto ou documento comprobatório enviado antecipadamente à montagem eu não abriria a porta de minha casa para um  desconhecido, e você? Pense nisso, o mundo não é prefeito.

5) Apresentação Pessoal - Já imaginou o estado do prestador de serviço que vai te atender? Alguns bons profissionais chegam inclusive a usar luvas para que "lembranças" da montagem não fiquem nas paredes do cliente. Sabemos ainda que o primeiro cuidado de um prestador de serviços é consigo mesmo. Como quem não cuida de si mesmo cuidará de seus móveis?

6) Ferramentas e uniforme - Um ponto fundamental na identificação do profissional da montagem. Se a empresa é séria, ela zela pelo uniforme e ferramental de seus funcionários. Se o montador autônomo é bom, ele investe em suas próprias ferramentas. Observe o equipamento e a mochila de seu montador, eles dizem muito sobre o resultado que terá na montagem contratada. Simples assim, dê uma faca sem corte para um açougueiro. Toda justificativa contrária é cortina de fumaça. Profissional bom tem ferramenta boa e PONTO FINAL.

7) Aspectos Comportamentais - Durante a montagem o profissional de verdade restringe-se ao objeto de seu trabalho. Conversas paralelas, "passeio" pela casa do cliente são claros indicadores de que algo definitivamente não vai bem. Mas aí já é tarde, o montador já está dentro de seu espaço. Infelizmente a escolha errada já foi feita, agora o jeito é manter a situação sob controle.

8) Montagem propriamente dita - Antes do início da montagem, uma dica é perguntar qual será o tempo gasto. O profissional sabe estimar, o amador não. Dado o grau de dificuldade variável é comum levar-se 50% adicionais em relação ao tempo previsto. Erros do tipo O DOBRO, são possíveis indicadores que a contratação não foi adequada, salvo problemas inerentes ao produto.

9) Pagamento -  O montador de móveis profissional sempre avisa antes caso detecte custos adicionais na montagem. Um orçamento bem feito é típico de profissionais responsáveis. Em geral não existem surpresas dados que o próprio cliente irá solicitar intervenções e detalhes não acertados previamente. Cuidado com os montadores que "espicham" o valor da montagem. Não aceite atitudes que indiquem má fé e falta de profissionalismo.

10) Pós Montagem -  Talvez aqui o grande motivo de frustração de muitos clientes. Montador amador desliga o telefone depois que "enganou" o cliente. Sabe que fez uma montagem ruim, mas como já conseguiu seu objetivo ($$$), agora desconsidera o cliente atendido e segue para a próxima vítima sem peso na consciência. Cuidado om este tipo de montador, que está muito longe do que chamamos "MONTADOR DE MÓVEIS PROFISSIONAL".

Agradecemos a todos os que nos seguem e deixamos o recado para os bons montadores. Cuidem destes 10 aspectos, eles serão os motivos de seu sucesso profissional. Através deles, novas contratações por indicação sempre estarão acontecendo. Se o bom cliente não voltar, é porque não precisou novamente, mas ele manda outros para você, esteja certo disso.


Sucesso à todos

C. Perin

0 comentários:

Postar um comentário